Outros "mares" por onde navego...

domingo, 30 de janeiro de 2011

Porque o céu é logo ali...



Toda vez que saio de casa, procuro novos caminhos, mesmo sendo as mesmas estradas. Levo meu coração inteiro, busco mundos com a ânsia de uma criança sem perceber o tempo, cuja alegria e alimento se resumem na liberdade que tudo permite.
Entro no carro. Minha primeira liberdade compartilho com as músicas. Viajo pelas suas letras e sons, construo as imagens que elas me permitem, e mesmo feliz, consigo chorar calada, escondendo-me por baixo das minhas lentes. Assim, ninguém me percebe nem me pergunta o efeito dos tantos versos das canções.
Olho as paisagens, morro de inveja dos pássaros, porque chegam antes de mim. As nuvens desenham meus sonhos no céu, mas logo se desfazem. Então olho pra frente, para as trilhas que se escondem e logo se revelam quando atravessam as montanhas e os seus horizontes.
Entro nos templos antigos com seus bordados e anjos de ouro; é lá onde procuro silêncio e converso com seres que me ensinam a paz. Tento obter respostas, fazer escolhas. Mas tudo isso significa abrir portas e saber que caminhos desconhecidos me esperam. Sei que este instante de recolhimento não me salva, mas me sinto verdadeira pondo minhas verdades pra fora; sinto-me pronta para este mundo apressado e egoísta tentando me devorar.
O mar... a grandeza, a cor instável, a luz e a dança das ondas com seus babados de espumas. Minha pequenez, minha incapacidade, minha vontade de fugir para “ser”. Tenho sede. Todo o meu corpo tem. Contemplo rios e riachos, mares e marés, bichos a se estenderem no quadro multicolorido da terra. Todo o meu ser se oferta e se ampara num ritual de cura e fé.
E dentro de mim, o que vejo? Uma vereda imensa a ser percorrida; um caminhante incansável peregrinando em busca de respostas; uma lembrança e um coração sempre aberto a novas paragens.
Viver é assim. É poder partir sempre, levando a coragem de muitas aventuras, inclusive a de percorrer os solos invisíveis de seus segredos. Chorar sem vergonha, sem medo. Esconder-se, quando necessário.
Mas é preciso voltar. Andar o mesmo caminho, ao contrário. As malas cheias, mal arrumadas, e a maior delas, o coração. Inteiro. Com saudades, lembranças, vazios; com sorrisos, vidas, esperanças... porque o céu é logo ali!

(Betha Mendes)

Foto minha  ( caminho para Morretes- Paraná )

27 comentários:

  1. Que saudade desse mar de versos lindos Betha.

    Minha amiga, que sensibilidade magnifica é essa de traduzir os sentimentos da gente:



    Mas é preciso voltar. Andar o mesmo caminho, ao contrário. As malas cheias, mal arrumadas, e a maior delas, o coração. Inteiro. Com saudades, lembranças, vazios; com sorrisos, vidas, esperanças... porque o céu é logo ali!


    Sim, é preciso voltar....

    Um abraço Betha.
    Ganhei meu domingo passando aqui!

    ResponderExcluir
  2. Sim, Betha!... Recomeçar. Ir e vir para rebuscar as lembranças e as coisas necessárias para avançar um pouco mais. Acrescentar novas linhas ao nosso programa; e aventurar, adentrar as veredas do nosso desconhecido interior.
    Obrigado pela visita ao meu blog. E sinto-me legal aqui no seu. Estou te seguindo. Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  3. O que nos resta, afinal são as lembranças e essa saudade que se arrasta aos nossos pés eternamente.
    Tudo o que queremos ter é que saudade seja uma lembrança revelada.

    ResponderExcluir
  4. Olá, amigos poetas...
    viajar nos faz bem, por dentro do mundo e por dentro de nós. renovar a essência e cultivar esperanças!

    bj

    Betha

    ResponderExcluir
  5. Betha, que lindo !

    Como diz Ferreira Gullar:¨ o coração é uma joia dentro de uma bolsa a viajar pela cidade¨

    um beijo!

    ResponderExcluir
  6. Betha, você escreve de um jeito que cabe muuita gente dentro de seu lirismo, eu , inclusive. Ele, além de encantar faz a gente pegar uma carona nas sua viagens. Lindíssimo, adorei! Uma ótima semana. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  7. "Viver é assim. É poder partir sempre, levando a coragem de muitas aventuras, inclusive a de percorrer os solos invisíveis de seus segredos. Chorar sem vergonha, sem medo. Esconder-se, quando necessário."

    MUITO LINDO ISSO. Você escreve maravilhosamente bem.

    ResponderExcluir
  8. é querida Betha..
    nossos caminhos nos levam e nos trazem em pura emoção .. que voce nos traduz em versos.
    beijos.

    ResponderExcluir
  9. Perdóname la curiosidad, ¿cómo es que me sigues, qué tanto te acercas, qué has hallado al leer mis textos?

    anuar iván.

    ResponderExcluir
  10. Betha, viajar assim é maravilhoso, "... e um coração sempre aberto às novas paragens". Inspiradíssima!

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Viajei também com suas leituras.
    Grata!

    bj

    Betha

    ResponderExcluir
  12. Tens a beleza no olhar, por isso a sabedoria de saber apreciar o caminho.
    Abç

    ResponderExcluir
  13. Como sempre temos que voltar que tragamos conosco o melhor de toda travessia, a coragem e energia suficiente de partir novamente.
    Um bj

    ResponderExcluir
  14. Tem selos de presente no meu blog pra você, passe lá e pegue.Lindo fim de semana, beijos.

    http://ventosnaprimavera.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Nossa que lindo poema, que foto!!! Adoro Morretes é uma viagem admirável, que paisagem, que clima!
    Aproveito para convidá-la a me visitar nessa postagem de domingo, pois tem selinho de presente para você por lá!
    bjs Sandra
    http://projetandopessoas.blogspot.com//

    ResponderExcluir
  16. querida betha,
    sigamos assim, peregrinos em busca do céu...
    belíssimo texto!
    bjos, ótima semana!

    ResponderExcluir
  17. Querida amiga

    Palavras tão doces.
    Realmente o céu é ali.
    Ali, onde o nosso
    coração está...

    Que sempre haja em tua vida,
    sonhos por sonhar...

    ResponderExcluir
  18. Fui seu aluno, orgulhosamente. E ainda continuo aprendendo e me encantando com a sua arte poética. Parabéns.
    Por Wagner Araujo.

    ResponderExcluir
  19. Will, Gisa, Arnoldo, Ana, Sandra, Me, Professor,

    enriqueço-me, engrandeço-me e viajo ainda mais com o carinho de suas leituras e comentários.

    beijo em todos

    Betha

    ResponderExcluir
  20. Wagner,

    é imensa a alegria te ter sua visita aqui; os anos se passam e de repente a gente percebe que os alunos é quem nos ensinam; é assim que me vejo agora lendo um comentário seu em relação a um trabalho meu; vejo o quanto é sensível em relação às "coisas do mundo".

    Paz e Luz pra você.

    Orgulhosamente, Betha.

    ResponderExcluir
  21. O que dizer, se tudo já foi dito?
    Lindo o seu texto!
    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  22. Zatônio.

    é que os olhos também viajam...

    abçs

    Betha

    ResponderExcluir
  23. Suzy,

    te digo que volte sempre, e viaje!!!

    bj

    Betha

    ResponderExcluir
  24. Belíssima foto, delicioso texto!
    Bjoks

    ResponderExcluir
  25. Abriu o coração! Muito bem exposto e escrito!

    ResponderExcluir