Outros "mares" por onde navego...

sábado, 10 de setembro de 2011

Não sou poeta...

não sou poeta...
não corre na minha pena
a perfeita metáfora
habitada em meu coração...
apenas
disfarço meus sentimentos
brinco de enganar o tempo
presa
troco as letras
livre
perco as rimas
sou apenas um verso a velejar
com o mundo as suas dores

(Betha Mendes)

Imagem Google

18 comentários:

  1. Isso, isso : as palavras usadas pra driblar o tempo. Também gosto assim.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. "sou apenas um verso a velejar com o mundo e suas dores" poesia da boa! bjos Betha!!!

    ResponderExcluir
  3. Quanto mais você se perde nesse caminho, melhor pra nós. Lindo, Betha! Abração e ótima semana.

    ResponderExcluir
  4. Ual, doce Betha.

    Que elegância você veste seus pensamentos. Cada verso uma roupa de gala, combinando as cores do coração com a textura da vida. Depois sai a velejar de forma estonteante pelo "mundo as suas dores".

    Sopro-lhe uma semana de brisa marinha sobre tua vida!

    ResponderExcluir
  5. Gerata a todos, e sempre devendo mil desculpas pela ausência!

    bjs

    Betha

    ResponderExcluir
  6. Querida amiga

    Quem fala de sentimentos
    assim,
    tem a poesia correndo
    no sangue.

    És poeta sim,
    e das melhores...

    Viver é sentir os sonhos
    com o coração.

    ResponderExcluir
  7. Versos carregados de sensibilidade!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. LINDOS VERSOS,BETHA!
    AH,OBRIGADA PELA VISITA.
    BJS EM SEU CORAÇÃO.

    ResponderExcluir
  9. Boa tarde, Betha.Lindo o seu poema, pois passeia com imensa sensibilidade nas palavras.
    Ser poeta é isso, não tem de ter as formas métricas, tem de ter a sensibilidade para ouvir, sentir, e compreender.
    No caso, você possui todos os tipos de sensibilidade.
    Um beijo grande, e fique com Deus!
    Apareça, vamos interagir nesse mundo de versos!
    Espero poemas novos para te ler mais ainda.
    Fique com Deus!

    ResponderExcluir
  10. Oi Betha,

    A modéstia são ventos que em vão tentam afastar o perfume da flor, mas só o que consegue mesmo é esparramá-lo para mais longe.

    Ótima semana para você!

    ResponderExcluir
  11. Querida amiga

    Hoje minha visita é para agradecer
    o presente que é para mim
    a sua amizade,
    e também desejar
    um maravilhoso Natal,
    onde possas encontrar nestes dias
    ainda mais inspiração
    para a alegria de ser feliz,
    e para o milagre de fazer
    quem passa por tua vida feliz.

    Que o teu olhar seja a mais perfeita
    luz do Natal a enfeitar o mundo.

    ResponderExcluir
  12. Betha,
    passando para deixar um aconchegante abraço natalino, estendido aos familiares.

    ResponderExcluir
  13. Oi, Betha! Saudade de seus poemas profundos e fecundos. Eu fiquei um tempão afastado e pelo visto você está há mais tempo do que eu. Está tudo bem? Desejo que sim. Grande abraço.

    ResponderExcluir
  14. É, ando afastada, é tempo mesmo, ele nos consome... mas, quem sabe, sempre é tempo. Abraço pra você também!

    ResponderExcluir
  15. Oi, Betha! Tudo bem? Provavelmente, você não lembra de mim. Escrevi no Overmundo há cinco anos sobre Jean Mitchell, o bluesman francês que virou sem-teto na Bahia e que acabou morrendo de consequências do alcoolismo. Um amigo de Jean, Gustavo Arruda, criou uma página em homenagem a ele no Facebook. Gostaria, portanto, de convidá-la a conhecê-la. Se for o caso, poderia ajudar a divulgá-la também? Ficaria imensamente grata. Segue o link abaixo. Um abração!

    https://www.facebook.com/JeanEugeneMouchere

    ResponderExcluir